Dermatologia Veterinária : Doenças comuns em Pets

Home / Dermatologia Veterinária / Dermatologia Veterinária : Doenças comuns em Pets
Dermatologia Veterinária : Doenças comuns em Pets

A Dermatologia Veterinária em Pets é importante área para prevenir e tratar doenças comuns encontradas em cães e gatos, como alergias, fungos, sarnas, entre outros.

Animais com problemas na pele podem apresentar alterações facilmente perceptíveis aos tutores, como: coceira, ferida, vermelhidão da região afetada e queda de parte dos pelos. Vamos falar sobre algumas das principais doenças que acometem os Pets.

Dermatite alérgica

A dermatite alérgica é uma doença bastante comum, uma vez que identificada através de sinais como coceira, mau cheiro na pele, queda exagerada dos pelos ou pele avermelhada, um especialista deve ser consultado com a finalidade de descobrir os tipos específicos de alergia.

Em síntese, podemos observar os diferentes tipos de alergias.

  • Pulgas e carrapatos: é recomendável aplicar anti-pulgas e inseticidas mensalmente.
  • Alimentação: como resultado de fontes de proteínas.
  • Microparticulas ambientais: alergia a pó, pólen, bolor, fumaça de cigarro e perfumes.
  • Por contato: produtos químicos, plantas e pelos de outros animais.

Sarna

Existem diferentes tipos de sarnas, entretanto nem todas são contagiosas. Os sinais podem ser diversos e dependem de qual sarna está acometendo o Pet. Desde coceira intensa, a pouca coceira, associada à falhas de pelo, escamação e crostas pelo corpo.

Existem dois tipos principais da doença:

  • Sarna demodécica: não é transmitida aos humanos, se não tratada, como resultado, pode voltar a aparecer quando baixa a imunidade. Pode ter fundo genético;
  • Sarna sarcóptica: zoonose, pode ser transmitida aos humanos.Nesse caso os sintomas são o prurido muito incômodo, perda de pelo, vermelhidão e crostas na pele.

Fungos

Vários fungos podem atingir os Pet. Desde fungos mais graves como a esporotricose, a fungos menos agressivos como a malasseziose.

  • Dermatofitose: pode acometer cães e gatos e pode ser transmissível aos humanos. O tratamento do animal deve ser associado ao tratamento ambiental. Geralmente gera sinais como queda de pelo e escamação cutânea
  • Malasseziose: caracterizada pelo aumento populacional do fungo já existente na pele, devido a uma causa de base inflamatória ou de imunossupressão orgânica. Fungo que não é transmissível. Comum ser acompanhado de coceira intensa, e vermilhidão, aumento da espessura e da pigmentação cutânea
  • Esporotricose: observa-se aumento da incidência de casos em Belo Horizonte. Uma doença grave, principalmente nos felinos, e de caráter zoonótico. Os sinais mais comuns são nódulos e úlceras na face, patas ou ainda distribuídos por todo o corpo. O tratamento muitas vezes é bastante longo.

Piodermite

Comum em animais como oportunista, a piodermite, trata-se de uma infecção bacteriana na pele. Os sinais são falhas no pelo, crostas amareladas, manchas escuras na pele, odor desagradável, mesmo após banhos e falhas no pelo. Na maioria das vezes relacionada com alguma outra doença já existente, como hipotireoidismo, alergias e a sarna demodécica.

Cuidados

Além das citadas acima, existem diversas doenças que podem, eventualmente, prejudicar a saúde dermatológica dos Pets.  Antes de tudo, em todas as situações encontradas a melhor forma é a prevenção:

  • manter a vacinação em dia,
  • cuidar da higiene do Pet,
  • combater as pulgas
  • e levar o Pet ao veterinário para fazer um check-up.
  • Assim que percebido qualquer sinal de lesão na pele, procure o dermatologista

Seu Pet agradece pela dedicação!

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.