Otite canina: dúvidas frequentes

Otite canina: dúvidas frequentes

A otite canina é talvez o assunto que cause mais dúvidas, e por que não dizer mitos na dermatologia veterinária.

Na nossa rotina, somos constantemente questionados sobre condições do dia-a-dia que poderiam causar otite em cães. Essas dúvidas são levadas ao consultório veterinário e temos que estar aptos a responde e orientar os tutores.

A primeira dúvida bastante comum é: Qual especialidade que trata as otites? Na Medicina Veterinária, as otopatias são tratadas pelo especialista em dermatologia, já que a orelha externa dos animais e recoberta por pele em toda a sua extensão (pavilhão auricular e condutos que são dispostos em formato de “L”).

Outra dúvida bastante comum é: As otites sempre são acompanhadas de infecção? Não. Otite é o termo utilizado para caracterizar inflamação das orelhas. Essa inflamação pode, ou não, ser acompanhada por infecção bacteriana ou fúngica e consequentemente gerar conteúdo mal cheiroso. Portanto, no momento da consulta, saber se há somente inflamação é super importante para selecionar a melhor terapia e evitar uso indiscriminado de antibióticos e antifúngicos.

Puxar os pelos dos condutos é uma ideia interessante para facilitar a limpeza das orelhas? Não, com raras exceções. É prática comum nos petshops arrancar os pelos das orelhas dos cães para facilitar a limpeza. Essa prática deve ser desencorajada, já que cria microlesões nas orelhas, e predispõem a inflamação. Se for necessário a retirada de um pouco de pelo para facilitar a limpeza, recomendamos cortar os pelos e não arrancar. Algumas exceções, para tratamento, devem ser abordadas exclusivamente pelo médico veterinário.

Água que cai dentro das orelhas, podem causar otite canina? Geralmente não. O animal, com o balançar de cabeça, consegue expulsar a maior parte da água que entrou no conduto. Portanto, é necessário uma predisposição ou doença de base para que o quadro aconteça. Então geralmente a água que cai na orelha não é a causa da otite.

Sendo assim, deve ser ressaltado é que otite deve ser tratada como um sinal clínico. Geralmente, ela é acompanhada de uma causa de base, como doenças alérgicas, doenças hormonais, doenças autoimunes, parasitárias etc. Tratar uma otite, sem buscar a causa de base, significará muitas vezes um quadro recorrente, e cada vez mais crônico. Ninguém melhor para ajudar a desvendar essas causa que o dermatólogo veterinário.

Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária (SBDV) e da Sociedade Latino-americana de Dermatologia Veterinária (SLDV). Dr. Guilherme De Caro Martins é especialista em dermatologia veterinária no Centrovet, onde faz atendimentos da rotina dermatológica.

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.