A hidroterapia na reabilitação veterinária

A hidroterapia na reabilitação veterinária

A hidroterapia compreende um conjunto de técnicas associadas à água, com o objetivo de reabilitar pacientes com distúrbios ligados aos sistemas osteomuscular, nervoso, endócrino e metabólico. Propriedades da água como sua densidade, pressão hidrostática e empuxo, auxiliam na sustentação, equilíbrio, redução do peso e impacto causado durante o esforço físico e possibilitam aos animais realizar movimentos particulares que não conseguiriam realizar no solo. Já sua resistência, que é aproximadamente doze vezes maior que o ar, é eficaz no fortalecimento muscular, aumento do metabolismo, e condicionamento cardiorrespiratório. Essa modalidade terapêutica é indicada para animais que foram submetidos a cirurgia ortopédica, ou que possuem patologias osteomusculares congênitas ou adquiridas, distúrbios neurológicos e também para obesidade.

A hidroterapia proporciona alguns efeitos que estão relacionados ao alívio da dor e espasmo muscular, manutenção e ganho da amplitude dos movimentos das articulações, tonificação e hipertrofia dos músculos enfraquecidos, aumento da tolerância aos exercícios e principalmente no auxílio à reeducação dos músculos paralisados. Também proporciona melhora da circulação, equilíbrio, coordenação e postura do animal.
A temperatura da água influencia diretamente no tratamento. Na água aquecida as principais mudanças fisiológicas são o aumento da frequência respiratória e cardíaca, diminuição da pressão sanguínea, aumento dos suprimentos sanguíneos para o músculo, aumento da circulação periférica, aumento do retorno venoso, aumento da taxa metabólica e relaxamento muscular geral.

Na água gelada, as principais modificações são a diminuição do metabolismo celular, a diminuição da permeabilidade capilar e o alívio da dor, ativação das atividades internas e é calmante para o sistema nervoso.
Dentre as instalações para execução dessa modalidade terapêutica, há a hidroesteira e piscina. As duas necessitam de equipamentos para aquecimento e filtragem da água, e alguns acessórios podem ser adicionados para auxiliar ou complementar a atividade, como coletes flutuantes, boias, guindastes e/ou rampas antiderrapantes para acesso, brinquedos para recreação e distração, entre outros.

A hidroterapia tem algumas contraindicações. Feridas abertas não devem ser introduzidas na água devido à possibilidade de contaminação e infecção, assim como no caso de dermatites.

Animais com disfunções cardíaca e respiratória grave também serão restritos ao uso da hidroterapia, pois podem apresentar distúrbios com relação à pressão hidrostática, já que a compressão do tórax em combinação com a demanda maior de oxigênio podem causar dispneia.

A hidroterapia possui muitas propriedades que auxiliam na restauração e manutenção da higidez dos pacientes e após descartados possíveis fatores de contraindicação, pode contribuir de diversas formas para o tratamento e conservação da saúde dos animais domésticos.

Dra. Joana Nicoli – Fisioterapia e Reabilitação Animal

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.