Incontinência urinária: onde está o problema?

Incontinência urinária: onde está o problema?

Incontinência urinária: onde está o problema?

A incontinência urinária é uma desordem muito frequente nos animais de companhia, cuja a causa pode advir de desordens em vários sistemas como o neurológico, urinário e endócrino.

Sistema neurológico

Quando relacionada ao sistema nervoso, geralmente está associada a lesões na medula espinhal e/ou cauda equina, que além dos sinais de incontinência resultam em outros sinais neurológicos como déficits proprioceptivos e fraqueza. 

Afecções como hérnias de disco e fraturas e luxações vertebrais estão entre as principais causas de lesões na medula espinhal que podem cursar com a incontinência urinaria. Nos felinos, muito frequentemente, está associada a traumas na região sacrococcígea que geralmente levam a uma cauda flácida e diminuição do reflexo perianal.

Os sinais clínicos decorrem da lesão do nervo pélvico – inervação parassimpática – e pudendo – inervação somática – que possuem seus núcleos na medula espinhal sacral (S1-S3) e inervam, respectivamente, a musculatura detrusora e o esfíncter uretral externo. 

Lesões da medula espinhal sacral resultam em comprometimento dessa inervação cursando com uma bexiga flácida (lesão do nervo pélvico) e a um esfíncter uretral externo flácido (lesão do nervo pudendo), o que provoca a incontinência urinaria de origem neurológica. O tratamento é bastante desafiador, e geralmente esta associado a resolução da causa primária.

Sistema Endócrino 

Quando o tutor se queixa que seu animal está com incôntinencia urinária, é fundamental que o médico veterinário diferencie incontinência urinária de poliúria. No primeiro caso, há normalidade na concentração da urina, mas uma dificuldade em reter a urina dentro da bexiga, por fragilidade do esfíncter urinário ou por má atividade desse esfíncter.

Baixos níveis de hormônio estrógeno, principalmente em decorrência da castração nas cadelas é a principal causa dessa fragilidade ou inabilidade do esfíncter urinário em reter a urina dentro da bexiga. Por isso, a cadela perde pequenas quantidades de urina quando relaxa (durante o sono) ou quando corre/pula.

Já a poliúria é um excesso de produção urinária, inabilidade em concentrar a urina (aumento da concentração de água na urina) e ocorre em decorrência de várias doenças hormonais. Nesse caso, o animal é capaz de reter a urina dentro da bexiga, mas devido à grande quantidade de produção, o volume de urina nas micções é muito grande e a frequência urinária aumentada.

Sistema urinário

Além das causas neurogênica e endócrina já citadas, a incontinência urinária de cães e gatos pode ocorrer devido a anormalidades anatômicas do sistema urinário, hiperreflexia do músculo detrusor ou obstrução uretral.

Para esclarecimento das causas, dados do histórico do paciente, tais como: idade, castração, antecedentes mórbidos, histórico de trauma e terapias prévias devem ser abordados de forma criteriosa com os tutores.

Além disso, o diagnóstico será complementado com exames laboratoriais (sangue e urina) e de imagem (ultrassom, raio-x, tomografia e quando possível a endoscopia do sistema urinário) O tratamento, conservativo ou cirúrgico, deve ser realizado de acordo com a causa e para isso a avaliação de um nefrologista é de suma importância para que este seja instituído precocemente

Vale ressaltar que a incontinência urinaria é um sinal clinico muito inespecífico com múltiplas causas, por isso a identificação primária de qual sistema está comprometido (neurológico, urinário ou endócrino), é de extrema importância para que abordagem adequada do paciente com tal sinal clínico.

Dr. Bernardo de Caro Martins
Neurologia veterinária

Dr. Gabriel Rabelo
Nefrologia Veterinária

Dra. Marina Madeira
Endocrinologia veterinária

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.