Alzheimer canino ou Síndrome da Disfunção Cognitiva

Alzheimer canino ou Síndrome da Disfunção Cognitiva

O Alzheimer canino, ou Síndrome da Disfunção Cognitiva, é um conjunto de sinais clínicos que indicam uma doença cerebral degenerativa em cães e gatos. Pode surgir a partir dos 7 anos de idade, no entanto, a prevalência da doença aumenta à medida que os animais ficam mais velho (cerca de 40% em cães com mais de 14 anos). O inicio e desenvolvimento da doença têm influências genética, metabólicas e nutricionais, sendo que a lesão cerebral é muito semelhante às encontradas em seres humanos com Alzheimer.

A principal diferença na lesão cerebral entre as espécies está na formação de emaranhados neurofibrilares que não são visualizados nos cérebros dos cães. No entanto, uma das hipóteses para isso é que os cães não vivem tempo suficiente para a formação desse emaranhado. Desta forma, podemos afirmar que a doença cerebral que ocorre nas duas espécies é muito semelhante e poderíamos denominar a doença no cão, apesar de controverso, de Alzheimer canino.

Alzheimer canino: sintomas

Os principais sinais clínicos observados estão relacionados a alterações comportamentais como andar noturno e sem rumo, trocar o dia pela noite, diminuição da interação com os proprietários e outros animais e esquecimento dos locais de urinar e defecar que se manifestam de forma progressiva.

É importante destacar que esses sinais não são específicos da doença, já que qualquer alteração cerebral no cão, como tumores e acidentes vasculares, pode cursar com essa apresentação. No entanto, se o animal apresentar esses sinais e o exame neurológico não demonstrar qualquer alteração, é mais provável que estejamos lidando com essa doença degenerativa.

Por isso é muito importante a avaliação de um neurologista para que a doença possa ser identificada e tratada de forma precoce. O tratamento visa melhorar os sinais clínicos e diminuir a rapidez com que a doença progride, mas geralmente não resulta em cura. Ele é baseado no tripé (alteração ambiental, fármacos e dieta) em que varias opções estão disponíveis e a melhor deve se adequar as características de cada paciente. Quanto antes o tratamento for iniciado mais tempo conseguimos oferecer uma sobrevida com qualidade.

Caso seu animal apresente qualquer sintomas semelhantes, procure por um especialista em neurologia veterinária. Dr. Bernardo de Caro Martins é sócio-proprietário do Centrovet, onde realiza consultas em neurologia clínica e cirúrgica. Médico veterinário, é também Mestre e Doutor em Ciência Animal, pela UFMG e possui aperfeiçoamento em Neurologia Veterinária na University of Georgia (EUA).

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.