Oncologia veterinária: como podemos ajudar?

Oncologia veterinária: como podemos ajudar?

Oncologia veterinária em cães e gatos.

O câncer é uma das causas mais comuns de óbito em animais de estimação. É uma doença multifatorial, que envolve fatores genéticos e ambientais. Geralmente acomete animais idosos, porém, pacientes jovens também podem desenvolver a doença. Algumas raças podem ter maior predisposição para apresentares certos tipos de tumores (golden retrivier, labrador, boxer entre outros). E na espécie felina, os siameses são citados na literatura.

Com o desenvolvimento da medicina veterinária, a oncologia vem a cada dia se destacando na clínica de pequenos animais. Além da especialização do médico veterinário, novas técnicas de diagnóstico e de tratamentos tem proporcionado a descoberta precoce da doença trazendo o melhor prognóstico do paciente oncológico e consequentemente melhor qualidade de vida.

Os sintomas da doença podem ser evidentes, como o aparecimento de nódulos, aumentos de volume, ou até feridas que não cicatrizam com tratamentos convencionais. Entretanto, podem ser extremamente silenciosos, passando despercebido aos olhos do tutor. O animal continua alimentando, abanando a cauda e até pedindo para passear. Por isso, é de grande importância a medicina preventiva, com exames de imagem anuais (raio-x de tórax e ultrassom abdominal), em cães e gatos a partir dos 6 anos de idade, bem como a avaliação com o médico veterinário. Em alguns casos, podemos observar também, sintomas inespecíficos, como vômitos, diarréia, emagrecimento progressivo, cansaço e intolerância ao exercício.

Para a abordagem desses tumores, o paciente passa pela avaliação clínica presencial, com o oncologista, que irá realizar o diagnóstico definitivo e em seguida traçar a melhor conduta terapêutica, individualmente. Para o diagnóstico, podemos realizar a citologia (punção do tumor por uma agulha), que incialmente diferencia processos inflamatórios de tumorais. Além da citologia, realizamos também o exame histopatológico (biópsia), que é a coleta do tumor por completo, ou de um fragmento, para ser classificado no laboratório (benigno x maligno) e o tipo de tumor (adenomas, mastocitomas, carcinomas, sarcomas, etc). Para definir com mais precisão ainda a agressividade de um tumor, ou até para continuar a pesquisa do diagnóstico (quando o mesmo não pode ser concluído pelo exame histopatológico), temos a imuno-histoquímica além dos testes moleculares.

Os tratamentos disponíveis, incluem a cirurgia oncológica, para remoção de tumores sólidos, muitas vezes associada a procedimentos reconstrutivos para minimizar possíveis mutilações. A quimioterapia é uma modalidade importante no tratamento do câncer em animais. Ela pode ser utilizada antes da cirurgia, para reduzir o volume do tumor ou no pós operatório, para matar células que “ficaram para trás” (quando as margens cirúrgicas estão comprometidas!). Existem vários protocolos de quimioterapia, que são indicados de acordo com o tipo de câncer e com a condição clínica do animal. É importante lembrar, que cães e gatos são mais tolerantes no que se refere aos efeitos colaterais. Eles não têm o fator “emocional” de ter consciência sobre a gravidade possível do seu quadro e sabemos o tanto este lado psicológico, influencia na pior evolução de um câncer. Também não é comum a alopecia completa (eles não ficam carecas!). E os possíveis efeitos colaterais que podem ocorrer, como vômitos, diarreia, baixa de imunidade, geralmente são bem controlados. Não podemos nunca comparar tratamentos e respostas a estes tratamentos entre animais e seres humanos! Embora existam semelhanças em no comportamento biológico de alguns tumores, estamos tratando de espécies diferentes! Assim como é importante salientar que as respostas são individuais sempre e isso depende de uma série de fatores relacionados a cada indivíduo. Outras modalidades de tratamento, incluem a eletroquimioterapia, radioterapia, crioterapia, dentre outros. Além disso, é importante lembrar dos cuidados paliativos com o paciente oncológico e o tratamento de suporte do mesmo.

Além do nosso cuidado com o animal doente, pensamos também no tutor deste paciente. Por isso, o Centrovet conta com um Grupo de Apoio ao Tutor do Paciente Oncológico, com participação da oncologista responsável e psicóloga especialista em oncologia (humana).

Conte conosco!

Dra. Mariana Cavalcanti – Oncologia veterinária

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.