Doença periodontal em pets

Doença periodontal: quando meu cão precisa ir ao dentista?

O primeiro sinal desta afecção silenciosa é a halitose, aquele bafinho que provavelmente todo mundo já notou no seu animalzinho. Você também poderá notar além da halitose, inflação/sangramento gengival, dificuldades para se alimentar e/ou perda de apetite, desinteresse por brinquedos, perda de dentes, salivação, secreção nasal, espirros, etc. A doença consiste basicamente num acúmulo de placa bacteriana nos dentes, que a medida que o tempo passa, mineraliza junto a restos alimentares, saliva e bactérias e se transforma em cálculo, também conhecido como tártaro. Desta forma, acaba inflamando a região e destruindo as estruturas de sustentação do dente, levando a mobilidade...

Leia Mais
estadiamento clínico

A importância dos exames de imagem no estadiamento clínico dos tumores

Os exames de imagem são de grande importância para o oncologista veterinário, no diagnóstico e estadiamento do tumor, na observação de possíveis comorbidades, e inclusive no acompanhamento do paciente, no que se refere a resposta terapêutica ou recidiva da doença. A radiografia é um exame barato, rápido e de fácil realização.  É o exame de escolha para a detecção de tumores primários em pulmão, metástases pulmonares, além de tumores ósseos tanto primários quanto metastáticos. No caso do raio-x de tórax, recomenda-se a realização do exame em mais de uma posição, geralmente latero-lateral (LL) e ventro-dorsal (VD), para uma boa observação...

Leia Mais
acromegalia

Acromegalia em felinos – Endocrinologia Veterinária

A acromegalia ou hipersomatotropismo é uma doença endócrina pouco frequente, causada por excesso de hormônio de crescimento (GH). Apesar de relatada anteriormente como rara, tem aumentado sua frequência e se mostrado comum em felinos. É caracterizada pelo crescimento crônico exagerado do tecido conjuntivo, ossos e vísceras. Em gatos, a acromegalia ocorre devido a um tumor pituitário secretor de hormônio de crescimento. Os principais sinais clínicos incluem diabetes resistente à insulina, dilatação dos órgãos de tecido mole (principalmente fígado e rins) e proliferação de tecido gengival (muitos apresentam prognatismo). Frequentemente a suspeita diagnóstica ocorre quando o animal diabético apresenta dificuldade no...

Leia Mais
Mastocitoma

Mastocitoma em cães: causas e diagnóstico

O mastocitoma é a principal neoplasia maligna em cães (7-21%). Corresponde a proliferação maligna de mastócitos. Ocorre em idades variáveis, em machos e fêmeas, com predileção em algumas raças como boxer, Golden, labrador, sharpey e pugs. Animais com alterações cutâneas crônicas, fatores hereditários, contatos com carcinógenos ambientais, são possíveis causas da etiologia da doença. Podem ser cutâneos ou subcutâneos, sendo os últimos, de melhor prognóstico. A apresentação clínica é variável, podendo ser um nódulo único ou múltiplos, ulcerados ou não, bem como feridas que não cicatrizam, com tratamentos convencionais. Os principais sinais clínicos, estão relacionados a degranulação de mastócitos e...

Leia Mais
felinos

Doenças de origem comportamental em felinos

Gatos gostam de rotina, e portanto, alterações em seu dia-a-dia são fatores que levam ao estresse. Exemplos comuns de mudanças de rotina que cursam com tal problema são: mudanças de móveis de lugar, óbito de membro da família, chegada de bebês à residência, término de relacionamento dos tutores, e visitas. Com o cenário atual de pandemia, muitos felinos se depararam abruptamente com seus pais humanos, que ficavam fora de casa 8-12 horas por dia, ficando em casa o dia todo. Com tal mudança, a rotina do gato é alterada por completo, visto que os movimentos e ruídos na casa se...

Leia Mais
ulcera de cornea

ÚLCERA DE CÓRNEA EM CÃES E GATOS

O que é a úlcera de córnea? A úlcera de córnea, ou ceratite ulcerativa, caracteriza como a perda das camadas superficiais da córnea, especificamente o epitélio e o estroma adjacente. É uma das doenças oculares mais comuns nos animais de companhia. Quais as causas da úlcera de córnea? É necessário um trauma físico direto no olho como as ocasionadas por coceira ou outra forma de traumatismo. Além desta, doenças palpebrais como entrópio, cílio ectópico, distiquíase, triquíase também pode causar ceratite ulcerativa em cães e gatos. Diminuição na produção de lágrima (“olho seco”) e deficiência no ato de piscar constituem outras...

Leia Mais
otite

Otite Canina: causas e diagnóstico

A otite , ou inflamação das orelhas, é uma condição muito comum, principalmente em cães. No entanto, quando abordada de forma isolada e sem o entendimento da doença de base, ocasiona no insucesso terapêutico. As otites podem ser divididas em externa, média e interna. Sem dúvidas, a forma mais observada é a otite externa, quando a inflamação, muitas vezes, complicada por infecção bacteriana ou fúngica, acomete a orelha externa. Essa, é uma extensão da pele em formato de tubo cilíndrico em “l” e por isso, a especialidade que aborda esse tema é a dermatologia. Coceira nas orelhas, meneios cefálicos (balançar...

Leia Mais
refluxo em cães

Refluxo em cães: causas e tratamento

Refluxo em cães: causas e tratamento O refluxo em cães é a expulsão do alimento do estômago e ou esôfago de forma involuntária sem grande esforço. Diferente do vômito, que pode vir acompanhado de náusea, salivação e demanda esforço para expulsão do conteúdo. Diversos fatores podem estar envolvidos na causa da regurgitação, sendo a hérnia de hiato apontado como o principal vilão em se tratando de causas estomacais. Já a estenose esofágica (estreitamento do calibre esofágico) e o megaesôfago (dilatação do esôfago) são as principais causas de falha no esôfago, órgão esse responsável pela condução do alimento para o estômago....

Leia Mais
Lama Biliar

Lama Biliar no Ultrassom. Devo me preocupar?

A Lama Biliar é um achado frequente no exame de ultrassonografia abdominal dos cães idosos e é comum em exames de imagem de animais portadores de doenças endócrinas. É caracterizada pelo espessamento da bile, conteúdo da vesícula biliar. A bile é formada, principalmente, por água, sais biliares, colesterol e bilirrubina. Dentre suas várias funções, se destaca a digestão e absorção de gorduras e algumas vitaminas. O espessamento da bile acontece por acúmulo excessivo de cristais de cálcio e colesterol e sedimentação desses cristais, deixando a bile mais viscosa. Em humanos a lama biliar é considerada anormal e está associada a...

Leia Mais
Leucemia Felina

Vírus da Leucemia Felina (FeLV): dúvidas frequentes

A leucemia viral felina (FeLV) é uma das doenças mais comumente diagnosticadas em felinos no Brasil, e em Belo Horizonte, o número de gatos infectados é muito alto. Causada por um retrovírus, a FeLV acomete exclusivamente felinos, não trazendo riscos para humanos e cães que convivem com o gato positivo. A transmissão da doença ocorre por meio do contato de um gato positivo com um negativo, por meio das suas secreções corporais: saliva (brigas e lambedura), urina, fezes e leite, por exemplo. Uma gata gestante também pode transmitir a patologia para seus filhotes, durante a gestação. O gato FeLV  positivo,...

Leia Mais