Refluxo em cães: causas e tratamento

Refluxo em cães: causas e tratamento

Refluxo em cães: causas e tratamento

O refluxo em cães é a expulsão do alimento do estômago e ou esôfago de forma involuntária sem grande esforço. Diferente do vômito, que pode vir acompanhado de náusea, salivação e demanda esforço para expulsão do conteúdo. Diversos fatores podem estar envolvidos na causa da regurgitação, sendo a hérnia de hiato apontado como o principal vilão em se tratando de causas estomacais.

Já a estenose esofágica (estreitamento do calibre esofágico) e o megaesôfago (dilatação do esôfago) são as principais causas de falha no esôfago, órgão esse responsável pela condução do alimento para o estômago. No caso dos cães, que apesar de não presentar tanta gravidade como nos humanos, demanda um esforço maior na condução do bolo alimentar por esse órgão.

Pacientes com regurgitação geralmente não apresentam alterações em seu comportamento, permanecendo ativos e responsivos, com apetite normal ou até mesmo aumentado, uma vez que o alimento não chega ao estômago (ou não permanece ali por muito tempo), não dando, portanto, a sensação de saciedade ao animal.

Em casos mais severos, é possível perceber a falta de apetite, ocasionando uma inanição prolongada que pode acarretar problemas secundários como infecções, deficiência nutricional grave, exacerbação de doença latente, entre outras, .

Se esses sinais não são capazes de fechar um diagnóstico, é imprescindível a ajuda de um profissional especializado em gastroenterologia animal para definir quais exames complementares são necessários para uma correta avaliação, sendo o Raio X digital uma ferramenta muito útil para a avalição, e tendo a endoscopia como padrão-ouro para um diagnóstico mais preciso.

O tratamento baseia-se na causa da regurgitação, porém oferecer alimento de forma bipedal, onde o animal fica apoiado com as patas posteriores enquanto as anteriores permanecem elevadas, faz com que a gravidade trabalhe a favor do paciente na condução do alimento para o estômago, bem como, mantê-lo na posição bipedal de 30 a 40 minutos após as refeições.

Dr. Mair Nésio Abreu, veterinário especialista em gastroenterologia veterinária, compõe a equipe multidisciplinar do Centrovet e pode avaliar e orientar protocolos assertivos para cada caso, de forma trazer mais qualidade de vida para o seu pet. Entre em contato!

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.