ÚLCERA DE CÓRNEA EM CÃES E GATOS

ÚLCERA DE CÓRNEA EM CÃES E GATOS

O que é a úlcera de córnea?

A úlcera de córnea, ou ceratite ulcerativa, caracteriza como a perda das camadas superficiais da córnea, especificamente o epitélio e o estroma adjacente. É uma das doenças oculares mais comuns nos animais de companhia.

Quais as causas da úlcera de córnea?

É necessário um trauma físico direto no olho como as ocasionadas por coceira ou outra forma de traumatismo. Além desta, doenças palpebrais como entrópio, cílio ectópico, distiquíase, triquíase também pode causar ceratite ulcerativa em cães e gatos. Diminuição na produção de lágrima (“olho seco”) e deficiência no ato de piscar constituem outras causas. O Herpes vírus felino tipo 1 nos gatos provoca úlcera característica conhecida como úlcera de córnea dendrítica.

Quais são os sinais clínicos?

Constitui uma doença ocular que gera muita dor pois a córnea é uma estrutura altamente inervada. A sintomatologia clínica é muito variada e diretamente relacionada com o tempo de evolução, a extensão e a profundidade da lesão. Os animais acometidos apresentam principalmente lacrimejamento, hiperemia (vermelhidão), blefaroespasmo (olho fechado), fotofobia (procura locais escuros) e coceira ocular. Geralmente mudam o comportamento geral ficando prostrados e inapetentes.

Como é realizado o diagnóstico?

O diagnóstico é baseado no histórico relatado pelo tutor assim como os achados clínicos identificados durante a avaliação oftalmológica. O uso de um corante vital chamado fluoresceína é essencial para o diagnóstico definitivo da ceratite ulcerativa. Este corante tinge a área ulcerada com uma coloração esverdeada possibilitando a sua identificação.

 Área esverdeada é a fluoresceína, essencial para avaliar a úlcera.

Qual o tratamento da úlcera de córnea?

O principal objetivo do tratamento da úlcera de córnea é a identificação da causa de base. Esta deve ser prontamente corrigida, por outro lado, nenhum tratamento medicamentoso ou cirúrgico logrará sucesso. As úlceras de córnea superficiais são tratadas com colírios para a dor e prevenção de infecção com antibiótico. Também recomenda-se medicamentos sistêmicos a base de analgésicos e antiinflamatórios. O uso de colar elisabetano é fundamental para prevenir o automultilação. Nas úlceras profundas, além do tratamento supra citado, incluímos antibióticos sistêmicos. Neste caso é necessário procedimento cirúrgico para a total cicatrização da ulcera e, consequentemente, a manutenção da visão.

Para atendimento de úlcera de córnea e demais problemas oculares em cães em gatos, o Centrovet conta com Dr. Gustavo Fulgêncio, especializado em oftalmologia veterinária, em sua equipe multidisciplinar. Entre em contato.

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.