Hiperadrenocorticismo em cães

O Hiperadrenocorticismo, ou síndrome de Cushing, é a doença hormonal mais diagnosticada em cães. Consiste em uma condição na qual há um excesso de produção de hormônio cortisol pela glândula adrenal (supra renal). 

O cortisol é um hormônio esteróide, ou seja, tem como origem uma molécula de colesterol. Por isso, animais que fazem uso de corticoide, de acordo com sua sensibilidade, dose da medicação utilizada e duração do tratamento, podem manifestar os sinais da doença. Essa condição recebe o nome de hiperadrenocorticismo iatrogênico. 

A Síndrome de Cushing pode ter origem hipofisária – nódulo produtor de ACTH -, ou adrenal – superprodução de cortisol pela glândula adrenal. Em ambas as situações, o animal produzirá o cortisol em excesso e a manifestação clínica será a mesma. 

O diagnóstico do hiperadrenocorticismo em cães é feito através da avaliação clínica, aliada a exames de imagem (ultrassom abdominal), exames de sangue gerais (para avaliar as funções do fígado, rins, hemograma, triglicérides e colesterol, etc), além do exame funcional da glândula (teste de supressão com baixa dose de dexametasona e/ou o teste de estimulação com ACTH). 

Os sinais mais frequentes dessa doença são: poliúria (aumento da frequência e volume de urina); polidipsia (aumento de ingestão de água); polifagia (aumento do apetite); ganho de peso; alterações dermatológicas, como rarefação dos pelos, pele fina com evidenciação de vasos, lesões de pele descamativas e/ou piodermites; abaulamento do abdômen; atrofia de musculatura; tremores dos membros. 

As alterações laboratoriais normalmente encontradas são: aumento da fosfatase alcalina, aumento do número de plaquetas, aumento de ALT e GGT (enzimas hepáticas). Hiperlipidemia (aumento de triglicérides e colesterol). No exame físico comumente há aumento de pressão arterial sistêmica e hiperglicemia. 

O tratamento do hiperadrenocorticismo canino depende da origem da doença. Para os tumores de adrenal, a recomendação é a remoção cirúrgica da glândula acometida. 

Quando a causa é hipofisária, a droga de escolha para a redução dos níveis de cortisol é o Trilostano. 

Em média a sobrevida dos pacientes é de 4 anos após o diagnóstico. Além do tratamento adequado, os pacientes precisam de monitoramento constante, com exames de sangue e ultrassom abdominal periódicos.

Dra. Marina Madeira é formada em Medicina Veterinária com especialização em endocrinologia e metabologia de pequenos animais e faz parte da equipe multidisciplinar do centro de especialidades veterinárias, Centrovet. Seu objetivo é a prevenção, diagnóstico e tratamento do paciente endocrinopata, sempre priorizando a melhoria da qualidade de vida de cães e gatos. Faz atendimentos especializados relacionados a alterações endócrinas e metabólicas, tais como, Obesidade, Hipotireoidismo, Hipertiroidismo, Diabetes Hipoadrenocorticismo e Hiperadrenocorticismo de pequenos animais.

 

13 respostas a “Hiperadrenocorticismo: você sabe o que é?”

  • Gostei sim, me tirou várias duvidas. Até pq hoje em dia não se ver mais veterinaria que pensa na saúde deles embem estar. Só visa dinheiro. Foi através de vcs que mostrei para esse vt de mentira as verdade e provei no exames muito obrigado Deus abençoe vcs por nos ajudar, espero q meu peludo fique bem.

    • Olá, Luciana, ficamos felizes em saber que gostou do atendimento. Conte sempre conosco! Abraços!

  • Então quer dizer que o cachorro morre em 4 anos após descobrir a doença?

    • Baseado em estudos, e de uma forma geral, esses pacientes são diagnosticados entre 10 a 12 anos de idade e, desta maneira, teriam 4 anos de sobrevida após o diagnóstico. Considerando a expectativa de vida em média até 15 anos/ 16anos, esses pacientes, quando tratados e bem controlados, teriam uma vida normal.

  • Bom dia meu peludo foi diagnosticado com essa doença, desde então começamos o tratamento com remédio pra diminuir; mas agora ele começou a sentir dores que não sentia antes. ( ex ele começou a mandar de uma das patas isso é normal?)

    • Olá, Cristiano,
      Quando os pacientes tem um quadro de dor associado, é muito frequente que com o tratamento da doença de Cushing a dor piore, porque o cortisol (hormônio produzido em excesso pela enfermidade) é um excelente anti-inflamatório. Então, à medida que reduz os níveis no cortisol (que no Cushing está em excesso), acaba tendo como consequência um agravamento do quadro de dor, porque tira essa ação anti-inflamatória do cortisol.
      Caso precise de atendimento especializado em endocrinologia veterinária, Dra. Marina Madeira está à disposição para atendê-los.
      Para agendamentos e informações:
      ☎️ (31) 2510-6797 | (31) 3324-3362
      WhatsApp: (31) 7581-0062
      ?Rua Raul Mendes, 42 – Floresta
      ?Estacionamento próprio e gratuito para clientes.

      • Ele pode estar com dor tambem pq geralmente usa estatina no tratamento qhe pode gerae fraqueza muscular

  • Carla mendes disse:

    Boa tarde minha cachorrinha tem 6 anos e faz 4 que venho lutando cm uma dermatite atópica,mas a um ano ela quebrou a pata esquerda fez cirurgia e desde então vem regredindo,o olho esquerdo está esbranquiçado onde levei no Vet pediram exames mas não deram muita atenção ao ultrassom e a encheram de remédios fortes onde ela perdeu o apetite e não bebe água,procurei outro profissional e mandou cortar tudo dela pois ela acha que ela está cm essa hiperadrenocoticismo,vou fazer os exames novamente,mas pode me orientar mais se bate isso? E se é curável,ou paliativo e qto pode ser o tempo de vida dela, obrigada.

    • Olá, Carla, será um prazer analisar o caso e farei o possível para ajudar a solucionar todas as dúvidas.
      Vamos agendar uma consulta?

      Dra. Marina Madeira
      Endocrinologia veterinária

      ☎️ (31) 2510-6797 | (31) 3324-3362
      ? WhatsApp: (31) 7581-0062
      ? Rua Raul Mendes, 42 – Floresta
      ? Estacionamento próprio e gratuito para clientes.

  • Boa tarde meu cachorro tem 4 anos ta com suspeita dessa doença mesmo com o tratamento a expectativa de vida dele é de 4 anos

    • Baseado em estudos, e de uma forma geral, esses pacientes são diagnosticados entre 10 a 12 anos de idade e, desta maneira, teriam 4 anos de sobrevida após o diagnóstico. Considerando a expectativa de vida em média até 15 anos/16anos, esses pacientes, quando tratados e bem controlados, teriam uma vida normal.

  • Vc recomenda cirurgia de animal com 12 anos, com tumor na glândula adrenal?

    • Olá, Vânia, será um prazer analisar o caso e farei o possível para ajudar a solucionar todas as dúvidas.
      Vamos agendar uma consulta?

      Dra. Marina Madeira
      Endocrinologia veterinária

      ☎️ (31) 2510-6797 | (31) 3324-3362
      ? WhatsApp: (31) 7581-0062
      ? Rua Raul Mendes, 42 – Floresta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *